Petrobras vai oferecer parceria à Sinopec em blocos, diz banco

REUTERS

SÃO PAULO - A Petrobras vai oferecer participação à petroleira chinesa Sinopec em blocos exploratórios de petróleo no Brasil e no exterior, informou um relatório divulgado nesta quarta-feira pelo JP Morgan.

O banco, que informou ter conversado com o presidente da Petrobras, José Sergio Gabrielli, e o diretor financeiro, Almir Barbassa, diz que a estatal vai oferecer oportunidades de exploração para a Sinopec em dois blocos na bacia Pará-Maranhão, uma nova fronteira no Norte brasileiro.

Além disso, a Petrobras irá oferecer oportunidades de exploração em pelo menos um de seus blocos internacionais (Golfo do México, África ou Turquia).

O relatório diz também que o acordo com a Sinopec para fornecimento de petróleo brasileiro começa a valer já em 2009 e que se a companhia chinesa exercer o direito de receber todos os 150 mil barris/dia ela poderá ficar com aproximadamente a metade de todo o volume de exportação da Petrobras no ano.

Para o período de 2010 a 2019, o volume especificado no acordo sobe para o máximo de 200 mil barris/dia.

Sobre a CPI da Petrobras, aberta no Senado mas ainda não instalada, Gabrielli disse aos analistas do banco que o assunto ainda não se tornou uma preocupação para investidores internacionais da empresa. Ele admitiu, no entanto, que a questão vai continuar na mídia ainda por algum tempo.

O presidente da Petrobras comentou as recentes negativas da ANP (Agência Nacional de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis) de pedidos de extensão do prazo exploratório em vários blocos no pré-sal.

Segundo ele, o cronograma atual será suficiente e não existe o risco de a estatal devolver qualquer uma das áreas.