Ativa avalia como neutra a CPI sobre a Coelce

SÃO PAULO, 27 de maio de 2009 - A corretora Ativa avaliou como neutra a decisão do presidente da Assembléia Legislativa do Estado do Ceará de compor uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) que vai apurar possíveis práticas abusivas da Companhia Energética do Ceará (Coelce) no tocante ao reajuste da tarifa de energia elétrica.

Segundo a Ativa, a CPI é um evento político com efeito irrelevante sobre o valor da Coelce. "O cenário de mudança em qualquer modelo de cálculo tarifário da Aneel é, por hora, absolutamente improvável", afirmou o documento.

A comissão atende o requerimento de autoria do deputado Lula Morais (PCdoB), subscrito por mais 41 parlamentares. O documento alega que nos últimos 10 anos, a tarifa de energia teve elevação de 274%, enquanto no mesmo período o IGP-M variou 194%. Diante desses números, o autor do requerimento diz que o reajuste das tarifas é abusivo, porque o seu cálculo é feito com base na compra de energia produzida por termelétrica.

"A referida energia térmica comprada pela Coelce é fornecida pela Central Geradora Termeletrica de Fortaleza (CGTF), térmica controlada pela Endesa, controladora da distribuidora cearense. O contrato de fornecimento de energia é parcialmente corrigido pelo dólar e por este fato o reajuste da distribuidora cearense apresentou elevação significativa este ano", explicou a corretora.

(Redação - InvestNews)