Consumidor confiante beneficia índices dos EUA

SÃO PAULO, 26 de maio de 2009 - As bolsas norte-americanas encerraram esta terça-feira em alta pela primeira vez em quatro sessões, no dia em que o índice de confiança dos consumidores do país registrou o maior ganho desde 2003.

O índice Dow Jones subiu 2,37%, aos 8.473 pontos. O S&P 500 avançou 2,63%, aos 910 pontos. O índice Nasdaq ganhou 3,45%, para 1.750 pontos.

Após quatro sessões em queda, as bolsa norte-americanas voltaram a abrir em terreno negativo, mas inverteram a tendência depois do anúncio do indicador que também colaborou para a valorização das bolsas europeias. A confiança do consumidor subiu para 54,9 pontos em maio, acima dos 42,6 pontos esperados pelo mercado. E os preços dos imóveis caíram 18,7% em março na comparação com o mesmo período do ano passado, segundo o indicador S&P/Case-Shiller. Os números continuam a mostrar taxas recordes de queda, uma tendência iniciada no final de 2007.

A Home Depot subiu 4,11%, para US$ 23,80, a Macy´s avançou 5,90%, para US$ 11,85 e o McDonald´s ganhou 3,08%, para US$ 58,84. As ações da Apple ganharam mais de 6,76%, para US$ 130,78, depois que o Morgan Stanley aumentou a recomendação para investimento na empresa.

Por outro lado, a General Motors não conseguiu convencer seus credores a aceitarem uma troca da dívida da empresa por participação acionária, preparando o palco para a maior concordata da história da indústria americana, no final deste mês. A maior montadora dos EUA tem até agora fracassado em conquistar o apoio de perto de 90% de acionistas interessados em evitar a concordata. Os papéis da companhia subiram 0,70%, para US$ 1,44.

(Sérgio Toledo - InvestNews)