Braskem e Pequiven planejam petroquímica de US$1 bilhão na Bahia

REUTERS

SALVADOR - A Braskem, maior petroquímica da América Latina, e a estatal venezuelana Pequiven pretendem construir uma unidade produtiva na Bahia, afirmou nesta terça-feira o governador do Estado, Jaques Wagner (PT).

O presidente venezuelano, Hugo Chávez, promoveu intensamente o desenvolvimento de petroquímicas como um modo de criar empregos no país, e está trabalhando com a Braskem na construção de um complexo petroquímico no leste da Venezuela.

O governo de Chávez anuncia com frequência projetos ambiciosos na área de energia, incluindo mais de 10 refinarias ao redor do mundo - sem, no entanto, executá-los.

Chávez e o presidente Luiz Inácio Lula da Silva se encontrarão nesta terça-feira para assinar uma série de acordos.

Wagner disse que os acordos incluem a parceria entre a Braskem e a Pequiven para desenvolver uma fábrica que pode custar pelo menos 1 bilhão de dólares.

A Pequiven convidou a Braskem para se juntar a um projeto de 3 bilhões de dólares na Venezuela após o país ter expulsado a ExxonMobil como parceira em 2006 por repetidos atrasos nas negociações.

A Braskem também está construindo uma fábrica de polipropileno na Venezuela.