Brasil registra superávit em abril

Ayr Aliski, Jornal do Brasil

BRASÍLIA - Depois de 18 meses, o Brasil finalmente registrou superávit em transações correntes, com saldo positivo de US$ 146 milhões em abril. O dado foi anunciado terça-feira pelo chefe do Departamento Econômico do Banco Central (BC), Altamir Lopes, que já alertou: não representa uma mudança de tendência.

No acumulado do quadrimestre, há um déficit em transações correntes acumulado de US 4,8 bi.

A expectativa para maio é de déficit de US$ 2,3 bilhões disse Lopes.

Apesar do soluço superavitário em abril ser considerado uma exceção pelo próprio BC, é indiscutível que há um ajuste em transações correntes, ou seja, na transferência de dinheiro em contas de estrangeiros para brasileiros e vice-versa. O déficit em transações correntes do primeiro quadrimestre deste ano é 63,3% menor do que foi registrado em igual período do ano passado, quando obteve um saldo negativo de US$ 13,3 bilhões. Para todo 2009, o BC projeta um déficit em transações correntes de US$ 16 bilhões, frente os US$ 28 bilhões do ano passado.

Determinantes

O saldo positivo em transações correntes apurado em abril deve-se a dois fatores, destacou Lopes. O primeiro motivo é o ajuste na remessa de lucros e dividendos que atingiram US$ 1,7 bilhão em abril deste ano, frente US$ 3,7 bilhões no mesmo período de 2008. No acumulado do primeiro quadrimestre, lucros e dividendos consumiram US$ 5,2 bilhões, contra US$ 12,3 bilhões em igual período do ano passado.

Para 2009, o BC projeta saída de US$ 15 bilhões em lucros e dividendos. Em maio, considerando resultado parcial até o dia 26, as remessas de juros somam US$ 580 milhões e as de lucros e dividendos alcançam US$ 2,3 bilhões. As remessas de juros somaram US$ 607 milhões no mês passado, quase o dobro dos US$ 333 bilhões de igual período de 2008. Para juros, o BC projeta remessas de US$ 8,2 bilhões em todo o ano. O segundo motivo que auxiliou a ajustar o resultado em transações correntes foi o resultado da balança comercial, com saldo positivo de US$ 3,7 bilhões no mês passado, frente US$ 1,7 bilhão em igual mês de 2008. No acumulado entre janeiro e abril, a balança comercial registra superávit de US$ 6,7 bilhões, quase 50% mais robusto que os US$ 4,5 bilhões de igual período do ano passado.

É essa combinação entre balança comercial saudável e redução nas remessas de lucros que fez o ajuste em transações correntes, destacou o chefe do Departamento Econômico.

A chegada de recursos por meio de Investimentos Estrangeiros Diretos (IED) somou US$ 3,4 bilhões em abril e atingiu

Tudo indica que será atingido os US$ 25 bilhões no ano disse.