Renda fixa mantém ritmo de queda

SÃO PAULO, 11 de maio de 2009 - Os prêmios dos contratos de juros futuros sinalizam queda diante da expectativa de que a taxa Selic vai continuar caindo, em pelo menos, mais duas reuniões do Comitê de Política Monetária (Copom). O DI de janeiro de 2010 apontava taxa anual de 9,41%, ante 9,49% do ajuste anterior. Janeiro de 2012 projetava juro de 11,10%, ante 11,15% último ajuste.

Hoje os agentes financeiros monitoraram o resultado do Índice de Preços ao Consumidor (IPC) da Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe) que registrou variação de 0,34% na primeira quadrissemana de maio. O indicador veio dentro das expectativas do mercado, que iam de 0,26% a 0,35%, com mediana de 0,29%. Já o Índice Geral de Preços -Mercado (IGP-M) caiu 0,52% na primeira prévia de maio, ante queda de 0,53% em igual leitura de abril. O resultado veio abaixo do esperado pelos analistas.

Ainda no mercado doméstico, o Boletim Focus divulgado nesta manhã revelou que a perspectiva do mercado financeiro para o desempenho da atividade ecônomica em 2009 voltou a piorar na semana passada. Os analistas decidiram elevar a previsão de retração do Produto Interno Bruto (PIB), que passou de -0,30% para -0,44%. Para 2010, a estimativa continua em alta de 3,5%. O cenário para inflação também foi alterado. Agora, os profissionais acreditam que o Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) vai subir 4,36% neste ano, contra previsão de alta de 4,3% feita na semana anterior. Para 2010, a projeção caiu de 4,32% para 4,3%. Já a estimativa para os juros continua a mesma. Os analistas acreditam que a taxa básica de juros (Selic) vai terminar este ano em 9,25%.

A equipe econômica da Gradual Investimentos ressalta que no país a inflação segue como esperado e continua comportada, denunciando assim uma situação econômica deprimida e, mais recentemente, a valorização do Real frente ao Dólar.

(Maria de Lourdes Chagas - InvestNews)