Novo benchmark para multimercados está em discussão

SÃO PAULO, 11 de maio de 2009 - Está em estudo uma mudança do benchmark (referencial) para os fundos multimercados. Hoje estas carteiras acompanham o Certificado de Depósito Interbancário (CDI) que, além de ser um indicador da renda fixa, pode ficar pouco atraente com a eminente queda nos juros.

Gustavo Alcântara, gestor de fundos da SLW, vê a mudança como algo bastante positivo. Porém, acredita, que ela deve custar a se concretizar, uma vez que as pessoas estão "viciadas" no CDI e uma alteração deste tipo requer mudança de comportamento.

"É muito positivo para o mercado como um todo. Para o gestor, que pode ganhar mais flexibilidade e criatividade, para o mercado que fica mais diversificado e para o investidor que pode ter ganhos maiores", acredita Alcântara.

Segundo ele, outra mudança de atitude é a visão do prazo do investimento. "Hoje as pessoas estão viciadas em CDI e acompanham os investimentos quase que diariamente. O melhor seria enxergar estes fundos no médio e longo prazos, ou seja, em um cenário de mais de um ano", aponta o especialista.

Em abril, durante a apresentação dos resultados da indústria do primeiro trimestre do ano, a Associação Nacional dos Bancos de Investimento (Anbid) voltou a falar sobre a alteração do bechmark para esses fundos. "A alteração do bechmark está na nossa pauta, junto com a alteração da classificação e nomenclatura dos fundos multimercados", disse Alexandre Zákia, vice-presidente da Anbid, à época.

A proposta da Anbid é fazer com que este fundos tenham um referencial mais próximo dos mercados que aplicam -- os multimercados podem investir seus recursos em ações, derivativos, títulos de renda fixa etc. Além disso, a proposta inclui tornar a categoria mais próxima possível da indústria de fundos norte-americana, considerada a mais madura de todas.

A discussão sobre a alteração do benchmark ainda está no início e deve durar algum tempo. "Não vejo timer, a idéia é trazer para o debate", acredita Alcantara que propõe a criação não de um referencial, mas de vários, de acordo com cada classificação de fundos multimercados. Hoje estes fundos são classificados em: Multimercados Sem e com Renda Variável e com e sem alavancagem.

Os fundos multimercados reúnem R$ 274,3 bilhões de patrimônio líquido (até abril), o que representa 22,47% do total da indústria de fundos brasileira, informa a Anbid.

(Priscila Dadona - InvestNews)