IGP-M e Boletim Focus favorecem queda das taxas

SÃO PAULO, 11 de maio de 2009 - As projeções de juros embutidas nos contratos de Depósito Interfinanceiro (DI) tiveram mais um dia de queda com os agentes financeiros repercutindo a deflação registrada no Índice Geral de Preços -Mercado (IGP-M) e as expectativas do Boletim Focus. Na BM&FBovespa o contrato de DI com vencimento em janeiro de 2010, apontou taxa anual de 9,43%, ante 9,49% do ajuste anterior.

A surpresa no campo inflacionário ficou reservada ao IGP-M que veio abaixo do esperado pelos analistas de mercado. O indicador caiu 0,52% na primeira prévia de maio, ante queda de 0,53% em igual leitura de abril. Já o Índice de Preços ao Consumidor (IPC) da Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe) registrou variação de 0,34% na primeira quadrissemana de maio, dentro das expectativas do mercado.

Ainda no mercado doméstico, o Boletim Focus elaborado pelo Banco Central (BC) rebaixou as expectativas de crescimento para 2009. Os analistas elevaram para -0,44% a previsão de retração do Produto Interno Bruto (PIB). Já para 2010, a estimativa continua em alta de 3,5%.

Os analistas prevêem ainda que a inflação deverá subir 4,36% em 2009, com leve alta frente à estimativa da semana anterior. Quanto à taxa básica de juros, o documento aponta que a Selic deve terminar o ano em 9,25%.

A deflação do IGP-M e a expectativa de retração do PIB para este ano reforçam o cenário de desaceleração econômica e de inflação comportada. "Este cenário fortalece as apostas de que o colegiado do Banco Central (BC) pode promover mais dois cortes na taxa Selic, fixada em 10,25% ao ano", comenta um operador de renda fixa.

(Maria de Lourdes Chagas - InvestNews)