Petróleo fecha no nível mais alto dos seis últimos meses em Nova York

Agência AFP

NOVA YORK - Os preços do petróleo subiram para o nível mais alto dos últimos seis meses nesta sexta-feira em Nova York, depois da divulgação de números sobre o desemprego melhores do que o previsto e que reforçaram a ideia de uma recuperação rápida da economia.

No New York Mercantil Exchange (Nymex), o barril de 'light sweet' para entrega em junho aumentou 1,92 dólar em relação ao pregão de ontem, fechando a 58,63 dólares.

Foi negociado a 58,69 dólares durante a sessão, pela primeira vez desde meados de novembro. No total, o barril de bruto teve uma valorização de 10,2% durante a semana.

No InterContinental Exchange de Londres, o barril de Brent do Mar do Norte com igual vencimento, ganhou 1,67 dólares, fechando a 58,14 dólares depois de atingir 58,30 dólares durante o pregão.

- Os preços da energia parecem desafiar a gravidade - comentou Phil Flynn, da Alaron Trading.

- É um impulso financeiro que não condiz com a realidade do mercado - concordou Antoine Halff, da Newedge Group.

- O aumento se deve a uma intensificação do otimismo com os fundos de investimentos - explicou.

Há várias semanas que os preços do petróleo acompanham a evolução das bolsas, que teriam capacidade de antecipar a recuperação econômica - segundo a crença geral - e, portanto, influenciaram a demanda.

O otimismo foi incentivado nesta sexta-feira pelos números mensais referentes ao desemprego nos Estados Unidos. A economia do maior consumidor mundial de ouro negro perdeu mais 539.000 empregos em abril, elevando a taxa de desemprego para 8,9%, seu nível mais alto desde setembro de 1983.

Entretanto, os analistas esperavam números muito piores, e o número de empregos perdido é o menor desde novembro.

Além disso, as últimas estatísticas do departamento americano da Energia mostraram que as reservas de bruto diminuíram na semana passada nos Estados Unidos, devido a uma maior atividade das refinarias.