BB prevê queda no faturamento trimestral

SÃO PAULO, 8 de maio de 2009 - O BB Investimentos estima uma redução de 31,2% no faturamento líquido da Petrobras no primeiro trimestre do ano em relação ao quarto trimestre de 2008. Os resultados da estatal serão divulgados na próxima segunda-feira. O BB diz que oimpacto da desvalorização de 26,8% da cotação média do petróleo nas exportações de óleo e derivados, nas vendas no exterior, bem como na comercialização, no mercado doméstico, dos produtos que possuem parametrização com as cotações internacionais (nafta, QAV, combustível para navios e óleo combustível) vão impactar nos resultados.

Outro motivo apontado para a redução é a queda de 28,4% no volume vendido de gás natural, conforme estatística disponibilizada pela Associação Brasileira das Empresas Distribuidoras de Gás Canalizado (Abegás), em razão da contração do consumo dos segmentos industrial e termelétrico.

A análise também pontua que a queda da receita líquida foi amenizada pela valorização média de 1,6% do dólar frente ao real e do crescimento de 2,3% (56 mil barris por dia de óleo equivalente) na produção total, no Brasil e no exterior, de óleo e gás natural.

´Acreditamos que as margens operacionais apresentarão crescimento em relação às apuradas no quarto trimestre de 2008, em razão de não ter ocorrido o repasse da queda das cotações internacionais para os preços internos do diesel, gasolina e GLP.´

O BB Investimentos ressalta que pelo lado do resultado financeiro, não haverá impacto positivo por conta da desvalorização do real ao contrário do ocorrido no último trimestre de 2008. No primeiro trimestre deste ano, o real valorizou 0,9%, enquanto, no último trimestre de 2008, houve desvalorização de 22%. ´Esse resultado decorre do fato de que a Petrobras é credora em moeda estrangeira no valor líquido de R$ 16,5 bilhões.´

(Redação - InvestNews)