Produção despenca 14,7% no 1º trimestre

SÃO PAULO, 5 de maio de 2009 - A produção industrial cresceu 0,7% de fevereiro para março, informou há pouco o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Onze das 27 atividades industriais tiveram alta em relação a fevereiro (série ajustada), lideradas, mais uma vez, pelo setor de veículos automotores (7,0%), que acumula crescimento de 56,5% em relação a dezembro de 2008. No entanto, em relação a março de 2008 a indústria brasileira teve retração 10%.

De acordo com a Pesquisa Industrial Mensal, a atividade fechou o primeiro trimestre de 2009 com recuo de 14,7% frente a igual período do ano anterior. A perda acumulada nos dois últimos trimestres (-16,7%) é a mais elevada desde o segundo trimestre de 1990 (-19,8%).

A queda trimestral atingiu 24 dos 27 segmentos pesquisados, sendo que as fábricas de veículos automotores (-27,2%) mantiveram a liderança em termos de impacto sobre o índice geral, cabendo à produção de automóveis e suas peças os maiores destaques. Outros impactos negativos relevantes vieram de máquinas e equipamentos (-28,3%), metalurgia básica (-30,8%) e outros produtos químicos (-21,1%).

Por outro lado, os três ramos que registraram aumento de produção neste período, foram: outros equipamentos de transporte (26,2%), farmacêutica (13,7%) e bebidas (5,6%). No corte por categorias de uso, o indicador acumulado para o primeiro trimestre revelou quedas intensas em bens de consumo duráveis (-22,5%), bens de capital (-20,8%) e bens intermediários (-18,1%), enquanto bens de consumo semi e não duráveis (-3,0%) recuou de forma mais moderada.

O resultado ficou em linha com expectativa do mercado financeiro

(Vanessa Stecanella - InvestNews)