Governo peruano quer multiplicar investimentos brasileiros

Agência ANSA

LIMA - O chefe do Conselho de Ministros do Peru, Yehude Simon, disse hoje que os investimentos brasileiros em seu país, estimados em US$ 5 bilhões, devem triplicar nos próximos cinco anos com a crescente aproximação entre as duas economias.

Ele destacou o estreitamento das relações bilaterais promovido durante a reunião que os presidentes do Brasil, Luiz Inácio Lula da Silva, e do Peru, Alan García, mantiveram no Acre na última semana.

Na ocasião, ambos assinaram acordos de cooperação em diversos setores, entre eles o empresarial, agropecuário, energético, de saúde e de ensino.

Uma das principais parcerias foi estabelecida entre a Eletrobrás e a Electroperú para construir seis usinas hidrelétricas em território peruano para abastecer o mercado brasileiro.

Em uma reunião com empresários brasileiros, Simon disse hoje que atualmente os investimentos do Brasil em seu país, de US$ 5 bilhões, concentram-se nas áreas de mineração, petroquímica, energia elétrica, siderurgia e fertilizantes.

- Estou convencido de que este número vai triplicar nos próximos cinco anos, devido ao interesse dos empresários brasileiros em investir no Peru - assinalou. - Nos próximos anos, não tenho dúvidas de que o Brasil será uma das potências mais importantes do mundo, graças à sua boa administração econômica e à presença de políticos de porte internacional. Nós continuaremos a olhar para o futuro do Brasil, porque isto nos estimula para que também sejamos uma potência.

O ministro ainda mencionou a recente decisão do governo peruano de adotar o sistema japonês para a televisão digital no país, o mesmo escolhido pelo Brasil em 2006. Simon qualificou esta resolução como uma "mostra de vontade concreta para avançar na integração".

Além disso, lembrou de outros projetos que visam estreitar as relações bilaterais, como o Corredor Interoceânico Sul, que deve ser inaugurado em 2010 e oferecerá ao Brasil uma saída direta para o Oceano Pacífico.