Exportações vão crescer 1,8% ao ano até 2030

SÃO PAULO, 5 de maio de 2009 - As exportações brasileiras de manufaturados crescerão à taxa de 1,8% ao ano nas próximas duas décadas, chegando a US$ 182,7 bilhões em 2030, aponta estudo Brasil Sustentável - Horizontes da Competividade Industrial elaborado pela Ernst & Young e a FGV Projetos.

Já as importações mundiais de produtos industrializados terão em média aumento de 3,7% ao ano, demonstrando que há ainda muito a ser feito para melhorar a competitividade do País no mercado externo até 2030.

As projeções são atribuídas ao aumento insuficiente de competitividade, decorrente de fatores como custo crescente de energia, grandes gargalos na infraestrutura, sistema tributário que encarece o preço final de bens e investimentos insuficientes em pesquisa e desenvolvimento.

"O estudo traz uma visão do potencial de exportação dos produtos brasileiros, tanto daqueles que já apresentam um bom desempenho quanto dos que representam novas oportunidades de inserção nos mercados internacionais. O mercado mundial de bens industriais será o motor do comércio de mercadorias nas próximas duas décadas. O dado crítico é que para todos os setores as exportações brasileiras crescerão abaixo das importações mundiais", destaca Luiz Passetti, sócio da Ernst & Young.

A pesquisa, realizada com base no histórico de indicadores econômicos dos últimos 57 anos de 100 países, é a quarta de uma série relatórios com projeções exclusivas sobre o comportamento de setores estratégicos da economia nas próximas duas décadas (além do estudo sobre competitividade industrial, a Ernst & Young já lançou análises sobre mercado imobiliário, varejo e energia).

(VS - InvestNews)