Dólar segue ladeira abaixo, a R$ 2,12

SÃO PAULO, 5 de maio de 2009 - Sem novidades especiais à vista, os mercados devem ter um dia calmo, com alguns movimentos de realização de lucro nas bolsas de valores e tranqüilidade no câmbio. Instantes atrás, o dólar comercial caía 0,47%, para R$ 2,118 na compra e R$ 2,120 na venda.

Segundo analistas, os firmes sinais de recuperação da economia chinesa coloca os mercados emergentes na mira dos investidores estrangeiros, favorecendo principalmente o Brasil. Na véspera, o Ministério do Desenvolvimento informou que a China se tornou, em abril, o principal parceiro comercial do Brasil, com uma carteira de US$ 3,2 bilhões, contra US$ 2,8 bilhões dos EUA - que ocupavam a posição há vários anos.

Na agenda do dia, destaque para a divulgação de dados sobre o setor de serviços norte-americano, assim como para o discurso do presidente do Federal Reserve, Ben Bernanke, ao Congresso. No campo corporativo, os rumores de que 10 das 19 instituições nos EUA precisarão levantar capital adicional movimentam os negócios. Em Wall Street, os índices acionários operam sem tendência, os mesmos passos apresentados na Europa.

(Simone e Silva Bernardino - InvestNews)