Tecnologia permite economia de até 5% com combustível

SÃO PAULO, 4 de maio de 2009 - Em meio a crise financeira mundial e seus impactos na economia real, o Grupo LAN investe US$ 70 milhões na incorporação de uma tecnologia avançada, chamada de winglets.

A tecnologia além de trazer mais segurança aos passageiros, permite a redução de custos para as companhias aéreas. "O winglets é instalado na extremidade da asa, é uma peça que prolonga a asa para cima, permitindo redução de resistência e economia no consumo de combustível", afirma Norberto Jochmann, diretor-presidente da Absa Cargo Airline, agente geral de vendas da LAN Cargo no Brasil.

Com a solução, a redução no consumo de combustível pode chegar até 5% ou em um trecho que a aeronave gasta 10 mil litros, ela passará gastar 9,5 mil litros. Lembrando que o insumo responde por 30% dos custos da empresa de transporte aéreo. "Aplicando este valor sobre 30%, o custo com combustível será de 28,5%, com a tecnologia implantada", acrescenta Jochmann.

O executivo não quis comentar sobre a participação do custo do combustível no ano passado, em função dos altos preços do petróleo, que chegou a quase US$ 150 o barril. Além disso, ele destacou que essa redução nos custos não implicará em alterações nas tarifas. "A tarifa que oferecemos é sempre de mercado, ela não é construída baseada no custo operacional, e sim na oferta e demanda", diz.

A instalação será realizada nas 37 aeronaves - Boeing 767-300 - do grupo, já incluindo as duas da Absa Cargo Airline. A previsão é de que quando os aviões da Absa pararem para manutenção no final do ano ou início de 2010 sejam implementadas as soluções, período em que a demanda é reduzida.

Os winglets possuem 3,5 metros de altura. Além de permitir a redução de custos, eles também colaboram com o meio ambiente, uma vez que ao gastar menos combustível emite menor quantidade de gás carbônico (CO2).

A Absa Cargo Airline, sediada no Aeroporto de Viracopos, em Campinas, é uma das três empresas de bandeira brasileira autorizadas a operar no transporte aéreo de cargas em linhas regulares internacionais. A designação oficial foi conferida pela Autoridade Aeronáutica Brasileira em agosto de 2001.

A companhia - fundada em 1995 - atua basicamente com rotas internacionais, e recentemente lançou a rota São Paulo - Manaus. Atualmente, o capital social da Absa é composto por 20% de empresas estrangeiras e 80% de empresas brasileiras, sendo elas Tadef - Transportes, Administração e Participação e Jochmann Participações.

(Déborah Costa - InvestNews)