Previsão para inflação se mantém em 4,3%

SÃO PAULO, 4 de maio de 2009 - A previsão para a inflação parece ter se fixado abaixo do centro da meta estipulada em 4,5% neste ano pelo Conselho Monetário Nacional (CMN). Segundo o Boletim Focus, sondagem realizada na semana passada pelo Banco Central (BC), o mercado financeiro manteve em 4,3% a estimativa do Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) em 2009. Para o próximo ano, a expectativa é que o índice suba para 4,32% - superando a sondagem anterior, quando a taxa estava em 4,3%.

Já a projeção para o Índice Geral de Preços - Disponibilidade Interna (IGP-DI) saiu de 2,05% para 2,01% neste ano, enquanto o Índice Geral de Preços ao Mercado (IGP-M) subiu de 1,99% para 2,07%. Para 2010, a expectativa para os indicadores é de inflação de 4,5%.

Por outro lado, a expectativa para o Índice de Preços ao Consumidor (IPC) da Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe/USP), que mede a inflação na capital paulista, passou de 4,35% para 4,33%.

A projeção para os preços administrados - as tarifas públicas - caiu de 4,45% para 4,4% em 2009, mas se manteve em 4% para 2010.

Diante disso, os profissionais consultados mantiveram em 9,25% ao ano a previsão para a taxa básica de juros (Selic) em 2009 e em 9,5% a projeção para 2010.

A estimativa da meta média da Selic, que caiu de 10,03% para 10,06%. Para o próximo ano, a projeção recuou de 9,5% para 9,44%.

Na semana passada, o Comitê de Política Monetária (Copom) decidiu, por unanimidade, cortar a taxa em 1 ponto percentual (11,25% para 10,25%). Foi o terceiro corte consecutivo nos juros.

(Vanessa Stecanella - InvestNews)