Dólar vai ao nível de R$ 2,13 com melhora externa

SÃO PAULO, 4 de maio de 2009 - Os mercados mundiais voltam a exibir um tom mais positivo nesta segunda-feira, diante dos sinais de estabilização da atividade dos Estados Unidos. Durante o feriado da última sexta-feira, o índice ISM do setor industrial e o índice de confiança do consumidor superaram as expectativas. Além disso, os investidores se mostram confiantes na capacidade de bancos norte-americanos como Citigroup e Bank of America de levantar recursos para capitalizar-se. Nesta semana, o governo dos EUA divulga o resultado dos testes de estresse.

O dia ainda traz números importantes como o aumento surpreendente dos gastos com construção nos EUA (0,3% em março) e alta nas vendas de imóveis usados (3,2% em março). Na China, os dois índices PMI de manufatura subiram em abril para níveis superiores a 50 - o que mostra uma recuperação da economia do gigante asiático.

Por aqui, a balança comercial apresentou o melhor resultado desde maio de 2008. Em abril, o saldo ficou positivo em US$ 3,712 bilhões, devido as exportações de US$ 12,322 bilhões e importações de US$ 8,610 bilhões. No ano, a balança acumula superávit de US$ 6,722 bilhões.

Diante dos fatores favoráveis, o dólar cai e atinge menor valor desde novembro. No fim da manhã, a moeda estrangeira perdia 1,97%, para R$ 2,139 na venda. O leilão de linha de crédito do BC também contribui com o movimento.

(Simone e Silva Bernardino - InvestNews)