Após semana agitada, dia pode ser calmo

SÃO PAULO, 4 de maio de 2009 - Depois de uma semana agitada na economia doméstica e internacional, os investidores terão uma segunda-feira mais calma em relação aos dados econômicos. Isso se os números nos Estados Unidos não surpreenderem negativamente o mercado. Hoje nos Estados Unidos serão conhecidos vendas de imóveis pendentes e gastos com construção. Há pouco, o Ibovespa com vencimento em junho avançava 3,15%, aos 49.100 pontos, nas negociações futuras da BM&FBovespa.

No entanto, a repercussão da gripe suína e aumento de casos confirmados pela Organização Mundial da Saúde (OMS) podem alterar mais uma vez o ânimo dos agentes.

Durante a sessão, as ações do setor bancário poderão repercutir o balanço corporativo do Banco Bradesco. A instituição financeira obteve lucro líquido de R$ 1,723 bilhão no primeiro trimestre do ano, mostrando uma queda de 9,6% quando comparado com o lucro líquido ajustado de R$ 1,907 bilhão nos mesmos meses do ano anterior.

Além disso, o mercado segue ansioso em relação aos testes de estresse dos bancos norte-americanos. A divulgação dos resultados estava agendada para hoje, mas foi transferida para a próxima quarta-feira, 6.

Esta notícia, anunciada na sexta-feira, foi suficiente para deixar os investidores cautelosos no último pregão da semana em Wall Street. "O resultado do teste de estresse - a que 19 bancos norte-americanos foram submetidos - foi adiado do dia 4 de maio para o dia 6 de maio, o que deixou os investidores cautelosos", afirma Leonardo Breder, gestor de renda fixa da Nobel Asset Management.

Na quinta-feira o índice acionário da BM&FBovespa marcou valorização de 0,13%, aos 47.289 pontos. Com isso, o índice registrou a oitava sessão seguida de alta, além de acumular avanço de 25,93% no ano. O giro financeiro somou R$ 5,4 bilhões.

Já no mercado acionário asiático, as principais bolsas da região terminaram a sessão desta segunda-feira em alta. Sinais positivos em relação à economia norte-americana e chinesa elevaram o humor dos investidores.

(DC - InvestNews)