Ações de bancos dos EUA sobem por otimismo com teste de estresse

REUTERS

NOVA YORK - As ações de bancos americanos subiam nesta segunda-feira, após analistas terem dito que os testes de estresse feitos pelo governo dos Estados Unidos vão mostrar que muitos deles precisam de menos capital extra que o temido previamente.

O índice do setor bancário KBW saltava quase 6% às 13h20 (horário de Brasília), enquanto as ações do Citigroup avançavam mais de 4 por cento, as do Bank of America ganhavam 5% e as do JP Morgan subiam quase 4%.

Os testes de estresse consistem em um exercício do governo para ajudar os reguladores a avaliar o montante adicional de capital que os 19 maiores bancos americanos necessitariam sob uma variedade de cenários econômicos.

As expectativas são de que os resultados sejam divulgados na quinta-feira.

- Nós esperamos que alguns bancos sejam citados com o potencial de uma possível deficiência e a maioria dos bancos da lista terá apenas deficiências modestas. Dessa forma, as ações de bancos não entrarão em colapso - disse em relatório David Trone, analista de bancos da Fox-Pitt Kelton.

As ações do Wells Fargo saltavam 8,3%, enquanto o índice financeiro do S&P avançava 3%.

O investidor Warren Buffett encheu o Wells Fargo de elogios durante o fim de semana, dizendo que o banco é "fabuloso". O Wells corresponde a um dos maiores investimentos de Berkshire Hathaway, de Buffett.

O Citigroup está buscando levantar qualquer capital adicional que possa precisar junto a investidores privados, em vez de dar mais controle do grupo ao governo, divulgou a Bloomberg mencionando fontes. Um porta-voz do Citi não estava imediatamente disponível para comentar o assunto.

O Bank of America negou que esteja trabalhando em planos para levantar cerca de US$ 10 bilhões em capital extra, conforme informado pelo Financial Times. O banco classificou a reportagem como "completamente incorreta".