Uruguai: Gripe suína afetará economia, diz presidente

Agência ANSA

MONTEVIDÉU - O presidente do Uruguai, Tabaré Vázquez, afirmou que possivelmente as finanças públicas uruguaias sofrerão um impacto negativo devido à gripe suína, mesmo não havendo, até o momento, casos da doença no país.

Em uma entrevista ao jornal local Búsqueda, o mandatário explicou que a propagação do vírus H1N1, causador da gripe suína, afeta o "setor hoteleiro, o turismo e o consumo no mundo, portanto, causará impactos no Uruguai".

O presidente disse ainda que a situação faz com que o governo realize gastos que não estavam previstos, como a compra de mais vacinas, já que em "48 horas (a demanda) sofreu um forte impacto que obrigou a compra de mais doses".

Vázquez, que conclui seu mandato no próximo mês de março, contou que deixará o país com um déficit fiscal, mas que isto teve "causas muito claras que não são responsabilidade deste governo", como a crise econômica mundial, a mudança climática e "esta pandemia de gripe suína".

Ontem, a ministra da Saúde uruguaia, Maria Julia Muñoz, descartou a hipótese de casos da doença no país e pediu cautela à população, advertindo sobre os perigos da automedicação.

Muñoz afirmou que, como medidas preventivas, o governo ativou o mesmo plano de contingência que utilizou em 2006 para conter a gripe aviária.

As autoridades sanitárias uruguaias estão realizando controles nos aeroportos, examinando cada passageiro que chega do México, onde o vírus matou oito pessoas até o momento.

Uma média de 35 pessoas chega ao Uruguai do norte do continente todos os dias, segundo a ministra, e cada uma delas é consultada por telefone por uma equipe médica para saber se apresenta os sintomas da doença.

- Até o momento nenhuma das pessoas examinadas apresentou sintomas que merecem atenção especial - garantiu Muñoz.

Hoje as autoridades mexicanas confirmaram 99 casos de infecção no país e pediram que todas as escolas, restaurantes, bares, discotecas e escritórios públicos permaneçam fechados.

Ao menos outras 159 pessoas faleceram nos últimos dias no México devido a quadros de pneumonia grave. No entanto, não há confirmação se estas mortes estão relacionadas à gripe suína.

Atualmente há casos confirmados de pessoas infectadas no México, Estados Unidos, Canadá, Espanha, Reino Unido, Alemanha, Nova Zelândia, Israel, Áustria, Holanda, Suíça, Costa Rica, Escócia e Peru.

O Peru é o primeiro país da América do Sul a apresentar um caso de contaminação. A paciente é uma argentina de 27 anos que viajava em um voo com destino a Buenos Aires.

Nesta manhã, o governo japonês anunciou que o exame preliminar realizado em uma mulher que veio de Los Angeles, Estados Unidos, deu positivo. A japonesa foi analisada no aeroporto de Narita-Tóquio e deverá fazer outros testes agora em um hospital.

A gripe suína é uma doença causada pelo vírus influenza A, chamado de H1N1. O vírus poder ser transmitido de pessoa para pessoa e causa febre superior a 39ºC, tosse, vômitos, diarréias e dores musculares.