Operações de ACC/ACE voltam a superar US$ 1 bilhão

SÃO PAULO, 30 de abril de 2009 - O financiamento ao exportador brasileiro via operações de Adiantamento de Contrato de Câmbio (ACC) e Adiantamento de Contrato de Exportação (ACE) voltaram a crescer de forma expressiva em março. Desde setembro do ano passado, após a derrocada do banco de investimento norte-americano, Lehman Brothers, o acesso às linhas de crédito se tornaram restritas. No ápice da crise, as empresas que vendem ao exterior tiveram que enfrentar além da dificuldade de obter crédito, juros maiores e prazos menores. Isto porque com a crise, que disseminou a desconfiança pelo sistema financeiro mundial, essas linhas externas se reduziram drasticamente e os recursos que eram emprestados para os bancos brasileiros migram para opções consideradas mais seguras, como os papéis do governo dos Estados Unidos.

Passado o pior, pela primeira vez desde novembro de 2008, o volume de ACC/ACE voltaram a superar a marca de US$ 1 bilhão no Banco do Brasil. Em março, os empréstimos obtiveram o expressivo resultado de US$ 1,033 bilhão - incremento de 54% em relação a fevereiro deste ano e 19% em comparação ao mesmo mês de 2008. A marca alcançada no mês passado também impulsionou o valor acumulado no primeiro trimestre do ano, que atingiu US$ 2,325 bilhões, volume 5% superior ao do mesmo período de 2008.

(Simone e Silva Bernardino - InvestNews)