Bolsa marca oitava sessão consecutiva de alta

SÃO PAULO, 30 de abril de 2009 - A valorização registrada nesta quinta-feira, véspera de feriado nacional - de 0,13%, aos 47.289 pontos - contribuiu para que o índice acionário da BM&FBovespa marcasse a oitava sessão consecutiva de valorização e, com isso, a bolsa brasileira acumula avanço de 25,93% no ano. O giro financeiro somou R$ 5,4 bilhões.

Notícias divulgadas ao longo da madrugada - como a produção industrial no Japão - fizeram com que as principais praças acionárias mundiais iniciassem o dia em forte alta. Internamente, os investidores reagiram de forma bastante positiva a decisão do Comitê de Política Monetária (Copom). Na noite de ontem, o colegiado confirmou a aposta majoritária do mercado e reduziu a taxa Selic em 1 ponto percentual (p.p) para 10,25% ao ano, sem viés, por unanimidade. O comunicado emitido após a reunião foi breve, não dando nenhuma indicação para os próximos movimentos. "Avaliando o cenário macroeconômico e visando ampliar o processo de distensão monetária, o Copom decidiu reduzir a taxa Selic para 10,25% a.a., sem viés, por unanimidade", segundo nota do Banco Central (BC).

Porém, ao longo da sessão, algumas fatos importantes reduziram o apetite dos investidores por ativos de risco, mas não foram suficientes para inverterem a tendência positiva dos mercados. O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, anunciou que a montadora norte-americana Chrysler e a italiana Fiat chegaram a um acordo. Além disso, Obama destacou que a companhia pedirá concordata, mas que o procedimento será rápido e controlado.

Ainda por lá, os dados sobre renda e gasto pessoal nos Estados Unidos mostrou queda pouco acima do previsto no mês de março. A renda contraiu de 0,2% para 0,3%, retomando o viés de baixa observado no último trimestre de 2008, enquanto os gastos pessoais, após dois meses de recuperação, voltou a cair em março. Já a inflação relativa aos gastos pessoais dos consumidores norte-americanos (PCE, na sigla em inglês) mostrou estabilidade em março ante o mês anterior, registrando alta de 0,2% no núcleo mensal e 1,8% na taxa anual.

"Quase que no mesmo momento, o governo anunciava que o resultado do teste de estresse - a que 19 bancos norte-americanos foram submetidos - foi adiado do dia 4 de maio para o dia 6 de maio, o que deixou os investidores cautelosos", afirma Leonardo Breder, gestor de renda fixa da Nobel Asset Management.

Por aqui, dentre os destaques de alta estiveram Lojas Renner ON (+7,52%), Rossi ON (+6,03%) e Sadia PN (+5,56%). No sentido oposto figuraram Cyrela ON (-4,82%), Eletropaulo PNB (-4,74%) e JBS ON (-3,75%).

(Vanessa Correia - InvestNews)