Produção cai ao menor nível desde 1999

SÃO PAULO, 29 de abril de 2009 - A crise continua abalando a atividade industrial brasileira e se intensificou neste início de ano. Segundo Sondagem Industrial realizada pela Confederação Nacional da Indústria (CNI), a produção caiu a 36,1 pontos e encontra-se 16,1 pontos abaixo do registrado no primeiro trimestre de 2008 e 4,7 pontos do trimestre anterior. Esse é o menor nível do indicador desde 1999.

Todos os 27 setores de atividade da indústria de transformação considerados e a indústria extrativa registraram queda no emprego e apenas o setor farmacêutico apresentou estabilidade na produção enquanto os demais registraram queda.

Embora no primeiro trimestre do ano, a indústria apresente, sazonalmente, desempenho mais fraco, esse fator não foi determinante para o segundo recorde negativo seguido dos indicadores de evolução da produção e do número de empregados.

A utilização da capacidade instalada (UCI) recuou a 68%, o percentual mais baixo da série e 7 pontos percentuais abaixo do registrado no primeiro trimestre de 2008. De acordo com a CNI, trata-se de um novo recorde negativo e ficou abaixo dos 74% reportados no último trimestre do ano passado.

O acesso ao crédito continua difícil e a insatisfação com a margem de lucro operacional e a situação financeira da empresa aumentou. Os empresários industriais estão menos pessimistas quanto aos próximos seis meses, à exceção no que diz respeito às exportações.

A evolução do número de empregados segue o movimento da produção e o indicador também registra um novo recorde negativo, segundo a CNI. Pelo segundo trimestre seguido esse indicador situa-se abaixo dos 50 pontos, refletindo o movimento de redução do número de empregados. O indicador de 39,2 pontos encontra-se, respectivamente, 13,9 e 4,8 pontos abaixo dos valores apurados no primeiro e no quarto trimestres de 2008.

(PD - InvestNews)