Desemprego sobe para 15% em março

SÃO PAULO, 29 de abril de 2009 - A taxa de desemprego total em seis regiões do Pais subiu para 15% em março. Em fevereiro, a taxa era de 13,1%. O contingente de desempregados foi estimado em 3,010 millhões, sendo 254 mil a mais do que no mês anterior. Os dados fazem parte da Pesquisa de Emprego e Desemprego (PED), realizada pela Fundação Seade e pelo Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Sócio-Econômicos (Dieese) em Belo Horizonte, Porto Alegre, Recife, Salvador, São Paulo e Distrito Federal, em março.

Apesar do crescimento usual no período, a intensidade verificada neste mês foi a maior de toda a série da pesquisa. Segundo suas componentes, a taxa de desemprego aberto aumentou de 9,6% para 10,5% e a de desemprego oculto de 4,3% para 4,6%. A taxa de participação passou de 60,5% para 60,7%, no período em análise.

Em março, o nível de ocupação diminuiu (0,8%), pelo terceiro mês consecutivo, comportamento também usual para esse período do ano. A eliminação de 143 mil postos de trabalho e a entrada de 110 mil pessoas no mercado de trabalho resultaram no acréscimo de 254 mil pessoas ao contingente de desempregados. O total de ocupados nas seis regiões investigadas foi estimado em 16,964 millhões de pessoas e a População Economicamente Ativa, em 19,973 millhões, de acordo com o levantamento.

A taxa de desemprego total ampliou-se em todas as regiões pesquisadas. Os maiores aumentos ocorreram em Porto Alegre (12,5%) e São Paulo (10,4%).

O nível ocupacional diminuiu com intensidade no Comércio - com a eliminação de 145 mil vagas (ou redução de 5,1%) - e, em menor medida, na Indústria - com 30 mil ocupações a menos (ou -1,2%); nos serviços manteve-se praticamente estável - com menos 6 mil postos de trabalho (ou -0,1%) e cresceu 15 mil (ou 1,5%) na Construção Civil, e 23 mil (ou 1,6%) nos Outros Setores.

(PD - InvestNews)