Decisão já era esperada, avalia economista

SÃO PAULO, 29 de abril de 2009 - A redução da taxa básica de juros, pela terceira vez consecutiva, veio em linha com o esperado, avaliou Alcides Leite, economista e professor de finanças da Trevisan Escola de Negócios. O Comitê de Política Monetária (Copom) cortou a Selic em 1 ponto percentual (p.p), para 10,25% ao ano, sem viés.

"Havia espaço para um corte desse, uma vez que o nível de atividade ainda está bastante retraído e a inflação está baixa", afirmou o economista. Segundo Alcides, o corte não foi mais agressivo porque já há sinais de recuperação da economia.

Além disso, o economista ressalta que uma redução mais acentuada poderia incentivar o consumo e gerar pressão inflacionária em alguns setores da economia. Entretanto, "essa medida abre espaço para novos cortes, porém com intensidade menor", disse. Alcides aposta em mais duas rodadas de corte e que a taxa básica de juros fique em torno dos 9%.

(Micheli Rueda - InvestNews)