Cias de trator ganham com a falta das grandes

RIBEIRÃO PRETO (SP), 29 de abril de 2009 - A ausência das grandes marcas de tratores na Agrishow, em Ribeirão Preto (SP), abriu espaço para empresas menores se destacarem na feira. A Green Horse aproveitou o momento e lançou um trator que pode ser financiado pelo Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES).

As regras do BNDES exigem que o trator tenha 60% de peso com equipamentos nacionais e que 60% dos custos de produção sejam brasileiros. O lançamento da Green Horse tem 73% de peso e 62% do custo. "É indicado para cafeicultura e fruticultura", diz o superintendente da região Sudeste, Anderson Rodrigues.

O trator possui 45 cavalos de potencia e é cerca de 30% mais barato do que os tratores das outras marcas. O motor é da estatal chinesa Yeuda, que produz 150 tratores diários apenas dos tratores exportador para o Brasil, enquanto a Green Horse fabrica 100 tratores por mês. Em 2008, a empresa, que não é filiada à Assosicação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea), vendeu 1 mil tratores.

O uso de mais peças na produção do novo produto elevou o custo final. O modelo custa R$ 54 mil. Já um concorrente chinês, R$ 48 mil.

Durante a Agrishow, a empresa espera aumentar o número de revendas no Brasil de 70 para 80. "Aqui também estamos negociando com companhias argentinas e portuguesas."

(Sérgio Toledo - InvestNews)