Balança da indústria gráfica registra déficit

SÃO PAULO, 29 de abril de 2009 - A Associação Brasileira da Indústria Gráfica (Abigraf) informou hoje que a balança comercial da indústria gráfica continua negativa - desde agosto de 2007. Em março, o déficit foi de US$ 3,2 milhões. As importações alcançaram US$ 22,1 milhões e as exportações, US$ 18,9 milhões. As informações são do Departamento de Estudos Econômicos (Decon) da Abigraf, com base em dados da Secretaria do Comércio Exterior (Secex) do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior.

Comparadas com o mesmo mês de 2008, as importações diminuiram 6,2% e as exportações subiram 28,5%. No primeiro trimestre de 2009, as importações caíram 24,4% em relação ao mesmo período de 2008 e as exportações regrediram em 26,4%.

"Embora as importações estejam caindo devido ao alto valor do dólar em relação ao real, as exportações também estão recuando, mas não de maneira tão drástica, apesar da retração do comércio internacional pós-crise", avalia Alfried Karl Plöger, presidente da Abigraf. "O produto gráfico brasileiro dá sinais de que é competitivo lá fora em meio a turbulência", complementa.

No âmbito das importações em março, os segmentos responsáveis pelo maior ingresso de produtos impressos foram: editorial (US$ 9,6 milhões), cartões impressos (US$ 5 milhões), embalagem (US$ 4,1 milhões), impressos promocionais (US$ 3 milhões) e etiquetas (US$ 920 mil).

Nas exportações, os segmentos que mais contribuiram para o resultado foram: embalagens (US$ 5,5 milhões), cadernos (US$ 5,2 milhões), cartões impressos (US$ 3,2 milhões), produtos editoriais (US$ 2,8 milhões), impressos promocionais (US$ 1,4 milhão) e etiquetas (US$ 486 mil).

No acumulado dos últimos 12 meses, o déficit da balança comercial está em US$ 111,3 milhões.

(Redação - InvestNews)