Sistema financeiro do ocidente é ruim para emergentes, afirma China

SÃO PAULO, 24 de março de 2009 - A China considera que o sistema de supervisão financeira de países em desenvolvimento é inadequado para economias emergentes, segundo anunciou hoje a agência oficial de notícias Xinhua, citando como fonte Hu Xiaolian, vice-governadora do Banco Popular da China (PBoC, sigla em inglês).

De acordo com ela, é necessário que o Fórum de Segurança Financeira desenvolva um novo sistema conveniente para as condições especiais das economias emergentes. Xiaolian fez seu comentário hoje durante um evento que discutia a participação do presidente chinês Hu Jintao na reunião do G20, prevista para ocorrer no dia 2 de abril em Londres.

Espera-se que a reforma do sistema de supervisão financeira global seja o tema principal do encontro. "Levando em consideração as condições de mercados e setores financeiros de economias emergentes, pensamos que não é adequado aplicar diretamente ou copiar as práticas de países desenvolvidos", disse Xiaolian.

A vice-governadora do PBoC ainda ressaltou que "é necessário evidenciar a universalidade das regras de vigilância para evitar uma arbitragem regulatória". Xiaolian pediu as instituições financeiras para que reduzam a confiança nas classificações de agentes externos e desenvolvam uma capacidade de classificação interna.

Ela solicitou que os bancos ajustem a aplicação dos princípios de responsabilidade e desenvolvam novas ferramentas políticas para enfrentar a crise mundial. Xiaolian comentou também que apoia o desenvolvimento de princípios universais ou guias de melhores práticas sobre concordatas e classificação de instituições financeiras, em uma tentativa de oferecer o mesmo tratamento a todos os investidores.

(Redação - InvestNews)