Dívida externa fica US$ 13 bi menor

SÃO PAULO, 24 de março de 2009 - A dívida externa brasileira atingiu US$ 198,4 bilhões em dezembro, o que representa uma redução de US$ 13 bilhões em relação à posição de setembro de 2008, informou hoje o Banco Central (BC). Essa queda deve-se, em sua maior parte, à dívida de curto prazo, apurada nos balancetes dos bancos comerciais, cuja diminuição atingiu US$ 11 bilhões. A dívida externa de médio e longo prazos dos setores privado e público financeiro caiu US$ 2 bilhões no mesmo período.

A dívida externa total estimada para fevereiro ficou US$ 2,5 bilhões menor em relação ao total apurado para dezembro do ano anterior. Desse montante, US$ 1,7 bilhão referiram-se ao endividamento de médio e longo prazos, sendo que a dívida externa do setor público não financeiro ampliou-se US$ 155 milhões e a dos setores privado e público financeiro declinou US$ 1,8 bilhão. Em relação à dívida de curto prazo houve redução de US$ 869 milhões no período comparativo.

No período em análise, os principais fatores de redução da dívida de meio e longo prazos foram a variação por paridade da dívida calculada em dólares, implicando diminuição estimada em US$ 2,1 bilhões; e as saídas líquidas de notes, US$ 825 milhões, e de suppliers, US$ 141 milhões. Em relação aos ingressos, destaque-se o lançamento, em janeiro, do bônus Global 19, US$ 1,025 bilhão, com cupom de 5,875% a.a.; e os desembolsos líquidos de buyers, US$378 milhões; empréstimos em moeda, US$116 milhões; e organismos internacionais, US$ 49 milhões.

Quanto à dívida externa de curto prazo, estimada em US$ 35,6 bilhões, a redução de US$869 milhões decorreu da redução líquida dos empréstimos em moeda, US$ 1 bilhão, e dos ingressos líquidos de US$ 177 milhões de financiamentos.

(Vanessa Stecanella - InvestNews)