Wall Street encerra em forte alta com plano do governo

SÃO PAULO, 23 de março de 2009 - As principais bolsas dos Estados Unidos encerraram a segunda-feira em forte alta, após o Departamento do Tesouro norte-americano detalhar o plano (criado em fevereiro) que visa resolver a questão dos ativos tóxicos bancários. O objetivo é estimular os investidores privados a adquirir estes títulos e, para isso, serão criados dois mecanismos um para os empréstimos e outro para os títulos ligados aos ativos imobiliários.

O Dow Jones registrou alta de 6,84%, para os 7.775,86 pontos, o S&P 500 apresentou valorização de 7,08%, aos 822,92 pontos, enquanto o Nasdaq subiu 6,76%, para 1.555,77 pontos.

O órgão atuará em conjunto com o Federal Deposit Insurance Corporation (FIDC) e Federal Reserve (Fed, o banco central norte-americano). O primeiro assegurará parte dos financiamentos para compra de crédito, enquanto o segundo vai auxiliar o financiamento para a compra de títulos.

O plano usará entre US$ 75 bilhões e US$ 100 bilhões do Programa de Alívio de Ativos Problemáticos (Tarp, sigla em inglês) e de investidores privados, que vai gerar US$ 500 bilhões em compras de ativos podres, "com potencial para expandir para US$ 1 trilhão ao longo do tempo", conforme comunicado do Tesouro.

Diante disso, o setor financeiro foi o que mais beneficiou. Os títulos do Citigroup, do JP Morgan Chase e do Bank of America dispararam mais de 20%.

No mesmo sentido, as vendas de imóveis usados nos Estados Unidos também contribuíram com a tendência positiva. O índice apresentou elevação de 5,1% em fevereiro de 2009, com ajustes sazonais. O volume de casas vendidas somou 4,72 milhões de unidades no período, contra 4,49 milhões de unidades em janeiro. O mercado projetava um recuo de 0,9%.

(Redação - InvestNews)