Renda fixa tem manhã de ajustes

SÃO PAULO, 23 de março de 2009 - Embora os novos dados do boletim Focus sinalizem projeções mais baixa para a inflação, crescimento e juros o mercado de taxas futuras se ajusta para cima. Há pouco, o contrato de Depósito Interfinanceiro (DI) com vencimento em janeiro de 2010 negociado na BM&FBovespa apontava taxa anual de 9,70%, ante 9,68% do ajuste anterior.

Analistas explicam que depois das reduções nos prêmios de DI nos últimos dias, os investidores aproveitam a segunda-feira para rever posições e realizar lucros, principalmente nos prazos mais longos. O contrato de com vencimento em janeiro de 2011 avançava de 10% para 10,07% ao ano.

Pela manhã os agentes financeiros monitoraram o boletim Focus que revisou novamente para baixo as perspectivas de crescimento da economia, da inflação e dos juros. De acordo com o boletim, os profissionais cortaram de 4,52% para 4,42% a previsão para o Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) ao final deste ano. Por outro lado, as estimativas quanto ao Produto Interno Bruto (PIB) continuam desanimadoras. Os analistas reduziram de 0,59% para 0,01% o crescimento da economia brasileira para este ano. Apesar disso, a perspectiva para 2010 foi mantida em 3,5%, pela terceira semana.

Diante da desaceleração da atividade doméstica e de uma inflação comportada, os analistas acreditam que o Comitê de Política Monetária (Copom) tem condições para reduzir a taxa básica de juros (Selic) para 9,25% ao final deste ano. Atualmente, a Selic está fixada em 11,25%, mas a expectativa é que o Copom promova outra redução da taxa na reunião marcada para abril.

(Maria de Lourdes Chagas - InvestNews)