Lucro da Perdigão recua 83% em 2008

SÃO PAULO, 23 de março de 2009 - A Perdigão informou hoje que registrou um lucro líquido de R$ 54,4 milhões em 2008, o que representa uma queda de 83% em relação ao ano anterior. De acordo com o comunicado da empresa, o desempenho mais fraco é resultado do impacto cambial nas despesas financeiras, sem efeito caixa, da parcela de ágio contabilizada no ano, em consequência das aquisições, e dos efeitos de ajustes e otimização de produção.

No quarto trimestre, a empresa registrou prejuízo de R$ 20 milhões, ante um lucro líquido de R$ 98 milhões no mesmo período de 2007.

O Ebitda (lucro antes de juros, impostos, depreciações e amortizações) atingiu R$ 1,159 bilhão em 2008, montante 44,4% maior que no ano anterior. No quarto trimestre, o Ebitda apontou um crescimento de 93%, em comparação a igual período de 2007, para R$ 465 milhões.

A receita líquida somou R$ 11,393 bilhões em 2008, o que corresponde a um avanço de 72% em relação ao ano anterior. Entre outubro e dezembro, a receita líquida alcançou R$ 3,058 bilhões, alta de 59% em comparação a igual período de 2007.

No ano passado, as vendas no mercado externo cresceram 58% em receitas e 34,8% em volumes totais de vendas, com destaque para a atividade de carnes, que representaram 97,3% das exportações. Oriente Médio, Extremo Oriente, Eurásia e Europa foram os principais mercados durante o período.

O mercado interno apontou elevação de 76,6% nas receitas brutas. Os volumes comercializados aumentaram em carnes (26,3%), lácteos (305,7%) e outros processados (69,6%). A participação desse mercado no total das vendas líquidas chegou a 56,3%.

Segundo a empresa, em 2008, a Perdigão concluiu um ciclo de grandes investimentos que viabilizarão o crescimento de seus negócios e sua rentabilidade nos próximos anos. O montante aplicado representou aumento de 179,4% ante o exercício de 2007. Do total de R$ 2,4 bilhões, R$ 1,8 bilhão foi investido nas aquisições da Eleva, Plusfood e Cotochés.

Os restantes R$ 628,4 milhões foram aplicados em ampliação e modernização de linhas em várias unidades da empresa e novos projetos, entre os quais destacam-se a construção do Centro de Distribuição do Embu (SP) e da planta de lácteos do complexo agroindustrial de Bom Conselho (PE).

<PRGA>

(Redação - InvestNews)