Lucro da Brascan cai 38% em 2008

SÃO PAULO, 23 de março de 2009 - A Brascan Residential Properties, uma das maiores incorporadoras integradas do Brasil, registrou receita líquida de R$ 1,07 bilhão em 2008, um aumento de 20,6% sobre os R$ 891,1 milhões registrados no ano anterior. A receita bruta da Companhia no ano totalizou R$ 1,1 bilhão, crescimento de 19,8% em comparação com 2007.

Em 2008, o lucro bruto da Brascan alcançou R$ 418,2 milhões, aumento de 29% em relação ao resultado combinado de 2007. A margem bruta da Companhia teve uma melhora de mais de dois pontos percentuais, subindo de 36,4% em 2007 para 38,9% em 2008. Ganho de escala, controle de custos e eficiência na construção proporcionaram essa melhora.

Já o lucro líquido combinado de 2008 somou R$ 117,1 milhões ante R$ 189,6 milhões registrados em 2007, valor 38% menor. Esse valor foi influenciado pelas alterações dos novos padrões contábeis implantados com a Lei 11.638, que impactou a contabilização das despesas comerciais e também das receitas da Companhia.

No ano, o Ebitda (lucro antes de juros, impostos, depreciações e amortizações) totalizou R$ 215 milhões, 6,4% maior que os R$ 202,1 milhões registrados em 2007. A margem EBITDA combinada de 2008 foi de 20%, estável em relação aos 22,7% registrados em 2007.

A meta de lançamentos (guidance) foi atingida pela empresa. O volume de lançamentos da Brascan em 2008 somou um Valor Geral de Vendas (VGV) de R$ 2,7 bilhões, aumento de 38,5% em relação ao montante do ano anterior. Desse valor, 63,4% foram realizados no estado de São Paulo, 15% no Rio de Janeiro e 21,6% na região Centro-Oeste. Do volume total de lançamentos, cerca de R$ 1,2 bilhão foi voltado para projetos residenciais, dos quais 59,2% correspondem a produtos com preço médio de até R$350 mil, destinados à classe média e classe média-baixa.

"O ano de 2008 foi ímpar para a Brascan. Em abril, fizemos a aquisição da MB Engenharia. Em outubro, veio a fusão com a Company. Em seis meses, passamos a ser uma das empresas líderes do setor", afirma Nicholas Reade, diretor presidente da Brascan.

Na avaliação do executivo, o posicionamento estratégico da Brascan foi fundamental para enfrentar as instabilidades do mercado. "O cenário adverso internacional impactou o mercado imobiliário brasileiro de maneira inversa: afetou muito mais a oferta de novos produtos no último trimestre do ano do que a demanda, principalmente por imóveis residenciais. Nosso ritmo de vendas, entretanto, continuou forte", diz Reade.

(Redação - InvestNews)