Greve não afeta operações da Repar

SÃO PAULO, 23 de março de 2009 - A Petrobras, por meio da Refinaria Presidente Getúlio Vargas (Repar), informou em nota, na noite de hoje, que a produção, segurança das operações e dos empregados da empresa em Araucária, região metropolitana de Curitiba, não foram afetadas pela greve iniciada à zero hora de hoje.

A refinaria recebeu a visita de fiscais da Delegacia Regional do Trabalho (DRT) para verificar as denúncias de cárcere privado de trabalhadores, o que não ficou comprovado. 'Além disso, ocorreu uma reunião no Ministério Público para solucionar o impasse e ouvir as reivindicaçõesdo Sindipetro (Sindicato dos Petroleiros) de substituir os trabalhadores em turno na condição de reduzir a cota de produção. A Petrobras estuda o pedido', diz a nota.

O Sindicato dos Petroleiros do Paraná (SindiPetro-PR) havia entrado, no final da manhã, com uma ação na Procuradoria Regional do Trabalho pedindo a intermediação do órgão nas negociações entre trabalhadores e a direção da Repar.

Segundo a Petrobras, a expectativa é de que a situação seja normalizada em breve. Informa ainda que trabalha 'de maneira a criar canais de diálogo amplos e esclarecedores entre as partes, buscando o entendimento e, acima de tudo, garantindo a manutenção da ordem e da segurança de todos'. A Repar produz processa 35 mil metros cúbicos de petróleo por dia.

(Redação - InvestNews)