Wal-Mart concede US$ 2 bi para funcionários horistas dos EUA

REUTERS

NOVA YORK - O Wal-Mart Stores está concedendo aproximadamente US$ 2 bilhões para seus funcionários horistas americanos por meio de incentivos financeiros. Entre eles, a distribuição de US$ 933,6 milhões em bônus nesta quinta-feira, após a maior rede de varejo do mundo ter aumentado sua participação de mercado em meio à recessão.

Em um memorando destinado aos empregados do Wal-Mart, o presidente-executivo da companhia, Mike Duke, disse que a rede varejista está recompensando trabalhadores horistas dos Estados Unidos com quase US$ 2 bilhões, sendo US$ 933,6 milhões em bônus, US$ 788,8 milhões em participação nos lucros, milhões de dólares em descontos em mercadorias e contribuições para ao plano de compra de ações da empresa por funcionários.

- Enquanto os desafios econômicos forçaram outros a retroceder, nós seguimos adiante - declarou Duke no documento. Ele afirmou que o Wal-Mart agora precisa "acelerar e ampliar todos os nossos esforços".

Conforme clientes procuram esticar orçamentos limitados, eles estão se dirigindo de modo crescente para as lojas do Wal-Mart em busca de descontos sobre todo o tipo de mercadorias, de comida a televisores.

A rede de varejo também está estendendo agressivamente cortes de preços para atrair compradores. Tais esforços estão ajudando o Wal-Mart a aumentar sua participação de mercado, enquanto outros varejistas norte-americanos sofrem com a queda das vendas.

Para o ano fiscal terminado em 31 de janeiro de 2009, as vendas totais do Wal-Mart cresceram 7,2%, para US$ 401,24 bilhões.

Um ano atrás, o Wal-Mart concedeu quase US$ 1,2 bilhão em incentivos financeiros a seus funcionários nos Estados Unidos, incluindo mais de US$ 636,4 milhões em bônus, que são baseados em performance das lojas.