Bolsas européias fecham em alta, com bancos e commodities

REUTERS

REUTERS - As bolsas de valores da Europa terminaram em alta nesta quinta-feira, conduzidas por bancos e commodities. Mas os ganhos foram limitados por preocupações dos investidores sobre as implicações do plano dos Estados Unidos de injetar US$ 1 trilhão na economia.

O índice FTSEurofirst 300, referência das principais ações europeias, avançou 0,61%, para 715 pontos, patamar distante da máxima de 730 pontos verificada mais cedo na sessão.

- A euforia inicial cercando o esquema da compra de títulos parece ter enfraquecido um pouco. Os Estados Unidos estão em baixa, o que está arrastando a Europa para baixo - disse Peter Dixon, estrategista do Commerzbank.

- Minha dúvida é como um esquema que basicamente fortalece o mercado de bônus incentivaria as ações no curto prazo. Se você está procurando por ganhos de capital no curto prazo provavelmente é melhor ficar com renda fixa do que ações - disse ele.

Os papéis do setor financeiro foram os que apresentaram ganhos maiores. O Barclays disparou 17,2%, enquanto HSBC, Standard Chartered e UBS subiram de 3,3% a 6,8%.

O Federal Reserve surpreendeu os mercados na quarta-feira ao anunciar que injetará mais US$ 1 trilhão na fragilizada economia norte-americana por meio da compra de dívidas do governo de longo prazo e também com a expansão das compras de dívidas hipotecárias.

Em Londres, o índice Financial Times fechou em alta de 0,31%, a 3.816 pontos. Em Frankfurt, o índice DAX ganhou 1,18%, para 4.043 pontos. Em Paris, o índice CAC-40 subiu 0,6%, para 2.776 pontos.

Em Milão, o índice Mibtel avançou 2,01%, a 11.990 pontos. Em Madri, o índice Ibex-35 registrou valorização de 0,52%, para 7.701 pontos. Em Lisboa, o índice PSI20 se valorizou em 1,09%, para 6.185 pontos.