Bolsa sobe com blue chips e ata do Copom

SÃO PAULO, 19 de março de 2009 - A bolsa brasileira apresenta valorização desde o início dos negócios, ajudada pela alta das commodities no mercado internacional e pela divulgação da ata do Comitê de Política Monetária (Copom). Instantes atrás, o índice acionário da BM&FBovespa avançava 0,92%, aos 40.512 pontos. O giro financeiro estava em R$ 2,36 bilhões.

As ações preferenciais da Petrobras e Vale do Rio Doce sobem 3,28% e 1,18%, respectivamente. O barril de petróleo, por exemplo, superou o patamar de US$ 50 nesta manhã, em resposta ao plano do Federal Reserve (Fed, o banco central norte-americano) de comprar o equivalente a US$ 1 trilhão da dívida pública e privada. Isso faz com que aumente a convicção de que o crescimento econômico do país será revitalizado e a demanda por combustíveis irá aumentar.

Para contribuir com este cenário, a ata do Copom deu indícios de que a entidade monetária voltará a cortar a taxa de juros. De acordo com o documento, o Banco Central (BC) vai se manter cauteloso diante dos dados de arrefecimento da economia doméstica. No entanto, enquanto essa desaceleração da atividade interna contribuir para um alívio nas pressões inflacionárias, o Comitê pode dar continuidade a flexibilização da política monetária.

Na semana passada, o colegiado decidiu, por unanimidade, reduzir de 12,75% para 11,25% a taxa básica de juros (Selic). Além de ser o segundo corte consecutivo, a taxa caiu ao menor patamar desde quando o BC implantou a Selic - em 1999.

Por fim, o economista-sênior para a América Latina da Moody´s, Alfredo Coutiño, afirmou que o Brasil é um dos poucos países da América Latina que continuam atrativos para investidores estrangeiros e com a possibilidade de evitar uma recessão este ano. Para o analista, em meio a uma crise mundial, a razão para o País permanecer como foco de atração para investidores externos se deve ao fato de que as palavras do governo são seguidas por atitudes, "o que não vemos no restante da América Latina".

(Vanessa Correia - InvestNews)