TRT mantém demissões de 4,2 mil funcionários da Embraer

Portal Terra

CAMPINAS - O Tribunal Regional do Trabalho (TRT) de Campinas, no interior de São Paulo, decidiu nesta quarta-feira, em julgamento que durou quatro horas, manter as cerca de 4,2 mil demissões anunciadas em fevereiro pela Embraer. No entanto, pediu que a empresa pague dois salários a cada trabalhador dispensado, com teto de R$ 7 mil.

Os sindicatos que representam os trabalhadores e a empresa de aviação têm oito dias para recorrer da decisão unânime. Caso uma das partes considere que a solução proposta foi insuficiente, o caso será levado ao Tribunal Superior do Trabalho (TST).

Também foi determinado o pagamento de assistência médica por 12 meses aos demitidos e seus dependentes. As demissões passaram a valer a partir do dia 13 de março, portanto, a Embraer deve pagar os salários dos demitidos entre 19 de fevereiro (quando anunciou as demissões) e a data determinada. A empresa ainda deve se comprometer a optar por recontratar os trabalhadores, caso decida aumentar seu quadro de funcionários no futuro.

Representados pelo presidente da Força Sindical, Paulo Pereira da Silva, Paulinho,,e o coordenador da Conlutas, José Maria de Almeida, os trabalhadores afirmaram que vão estudar a decisão e levar a uma assembléia, mas há grande possibilidade de que recorram ao TST. Os sindicalistas mantêm a posição de que exigem a reintegração de todos os trabalhadores.

O advogado da Embraer Cássio Mesquita Barros afirmou que o resultado será transmitido aos executivos da Embraer e, somente depois disso, vão anunciar uma posição.