Refinaria no Paraná bate recorde de comercialização

SÃO PAULO, 18 de março de 2009 - A Refinaria Presidente Getúlio Vargas (Repar), localizada no Paraná, fechou 2008 com recordes históricos na produção e comercialização de asfaltos. Segundo nota divulgada hoje pela assessoria de imprensa da Petrobras, no ano passado foram comercializadas pela refinaria da estatal "mais de 350 mil toneladas" de asfalto, das quais 96% para o mercado interno e 4% para exportação.

Os dados indicam que já no primeiro semestre de 2008 a Repar comercializou 156 mil toneladas de asfalto - um aumento de 13% em relação ao mesmo período do ano anterior.

Na avaliação da gerente de comercialização da Repar, Ana Beatriz Franco, o aumento acentuado nas vendas foi impulsionado pela retomada das obras de pavimentações de estradas e rodovias.

"Além da construção de estradas também tivemos obras de recuperação de vias municipais e estaduais no Paraná, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul e Santa Catarina", informou a executiva.

No texto, a Petrobras destaca, ainda, os aumentos expressivos de outros produtos comercializados pela unidade de refino, como a gasolina, que alcançou no mês de dezembro do ano passado 242 milhões de litros comercializados. A marca é recorde de vendas da unidade em um único mês e foi 4,61% superior ao recorde anterior registrado em outubro do mesmo ano, quando o volume levado ao mercado chegou a 232 milhões de litros.

Outro recorde da Repar foi obtido na comercialização do óleo diesel (interior e metropolitano) que alcançou vendas superiores de 2.760 milhões de litros no primeiro semestre - resultado 6% superior ao primeiro semestre de 2007.

A principal diferença entre as duas variedades de óleo está no teor de enxofre, que é menor no caso do metropolitanto para atender à legislação ambiental que visa a redução da emissão de gases provenientes da combustão em grandes cidades e regiões metropolitanas.

Separadamente, o diesel interior - cuja especificação é de 1.800 ppm (partículas por milhão), atingiu um volume de vendas de 442 milhões de metros cúbicos, somente em setembro do ano passado - em razão do incremento da atividade agroindustrial no Estado do Paraná e a expansão da área de influência da unidade de refino em direção ao Rio Grande do Sul.

As informações são da Agência Brasil.

(Redação - InvestNews)