Indústria investe em tecnologia de NF-e

SÃO PAULO, 18 de março de 2009 - A nota fiscal eletrônica, que começou a ser implantada gradativamente desde o ano passado, será obrigatória a algumas atividades da indústria alimentícia a partir de 1º de setembro deste ano, de acordo com o protocolo ICMS 87/07. Apesar da retração econômica, fabricantes de derivados de trigo, óleos vegetais, biscoitos e laticínios, além de produtores e atacadistas de café em grãos, se vêem compelidos a investir na implantação do sistema eletrônico o quanto antes. Ao menos é o que afirma Wagner Oliveira, diretor da Versifico Web Solutions.

'Além dos investimentos em infraestrutura tecnológica, a implantação do sistema demanda um período de adaptação aos novos procedimentos. Para algumas indústrias, trata-se de uma verdadeira mudança de cultura administrativa, já que os funcionários terão de abandonar os tradicionais talões e o papel carbono', diz.

Na opinião de Oliveira, a necessidade de manter a boa performance registrada no ano passado é mais um motivo para os fabricantes se adaptarem ao sistema eletrônico com antecedência. Segundo a Associação Brasileira das Indústrias da Alimentação (ABIA), a indústria de produtos alimentares encerrou 2008 com faturamento superior a R$ 230 bilhões.

'A implantação do sistema de NF-e, além de evitar multas, duplicidade de documentos, e consequente queda na receita, deverá agilizar as operações e melhorar a gestão das transações comerciais realizadas por esses fabricantes', diz o executivo da Versifico. 'Sem contar a expressiva redução de custos com papelaria', conclui.

(Redação - InvestNews)