Fraqueza das commodities derruba bolsas européias

REUTERS

REUTERS - O principal índice europeu de ações encerrou em queda nesta quarta-feira, à espera dos resultados da reunião do Federal Reserve (FED, banco central dos EUA) e com as commodities sob pressão devido à fraqueza do petróleo e dos preços dos metais. Os bancos, entretanto, ganharam terreno, incentivados pelo UniCredit.

O índice Eurofirst 300, referência dos principais mercados europeus, recuou 0,8%, para 710 pontos, tendo atingido 702 pontos na mínima do pregão. O indicador acumula perdas de 14% até agora neste ano, após ter despencado 45% em 2008.

As ações do setor de commodities foram as que apresentaram queda mais acentuada. Os preços do petróleo caíam 2%, o ouro perdia mais 3%, o alumínio retrocedia 1,3% e o zinco tinha declínio de 2,8%. Royal Dutch Shell, BG Group, Repsol, Total e StatoilHydro registraram baixa entre 1,4% e 3,1%.

- Nós estamos em um processo de saída que pode envolver novas quedas, mas as pessoas estão começando a olhar pra frente com uma perspectiva menos pessimista - afirmou Andrew Bell, diretor de pesquisa da Rensburg Sheppards.

Os bancos em grande parte tiveram valorização. O UniCredit saltou 19%, após seu lucro líquido ter superado as expectativas. Barclays disparou 5,2%, Royal Bank of Scotland ganhou 4,1% e o Société Générale avançou 3,9%.

Em Londres, o índice Financial Times fechou em baixa de 1,35%, a 3.804 pontos. Em Frankfurt, o índice DAX ganhou 0,21%, para 3.996 pontos. Em Paris, o índice CAC-40 caiu 0,25%, para 2.760 pontos.

Em Milão, o índice Mibtel encerrou em alta de 1,7%, a 11.754 pontos. Em Madri, o índice Ibex-35 registrou valorização de 0,21%, para 7.661 pontos. Em Lisboa, o índice PSI20 avançou 1,2%, a 6.119 pontos.