Contra crise, BM&F Bovespa reduz despesa e vende ativos

REUTERS

SÃO PAULO - Reduzir custos e vender imóveis estão sendo as saídas encontradas pela BM&F Bovespa para enfrentar os efeitos da crise financeira que derrubaram suas receitas e seu lucro no final de 2008. - Nossa meta é reduzir as despesas operacionais este ano - disse o presidente da BM&F Bovespa, Edemir Pinto, nesta quarta-feira, ao apresentar os números do quarto trimestre.

Em dezembro, as despesas operacionais eram de R$ 544,5 milhões, praticamente estáveis em relação a um ano antes. A meta é que esses gastos recuem para R$ 450 milhões este ano.

Entre as principais fontes de economia estão a redução de 29% do quadro de empregados. Desde maio, foram feitas 533 demissões, entre funcionários e terceirizados, e também houve contenção de gastos com processamento de dados e publicidade.

Simultaneamente, a holding começou este ano a vender alguns imóveis considerados não essenciais, todos no centro da capital paulista. O primeiro deles rendeu R$ 5,3 milhões e outros dois devem ser alienados durante o ano.

A companhia também está concentrando suas operações em São Paulo e Rio de Janeiro. A filial de Recife foi fechada, enquanto as de Fortaleza, Curitiba e Porto Alegre estão em análise.

As medidas são uma tentativa de amortecer os efeitos da crise, que derrubaram os preços dos ativos e tiraram o apetite dos investidores por negócios, fazendo a receita líquida e o lucro do grupo caírem 13% e 15%, respectivamente, na passagem do terceiro para o quarto trimestres.