Ásia sobe pelo 4º dia consecutivo; BoJ estimula altas

SÃO PAULO, 18 de março de 2009 - As bolsas da Ásia fecharam em alta nesta quarta-feira, pelo quarto dia consecutivo, refletindo os ganhos observados na véspera em Wall Street e impulsionadas pelo bom desempenho do setor bancário, o mais beneficiado nas sessões.

A decisão do Banco do Japão (BoJ, central) de manter o juro inalterado em 0,10% ao ano e de ampliar para 1,8 trilhão de ienes (US$ 18,225 bilhões) a quantia mensal para adquirir bônus do governo a longo prazo, visando assim impulsionar a liquidez nos mercados, também animou os investidores da região.

Ontem, a autoridade monetária nipônica já havia anunciado US$ 10,2 bilhões em empréstimos subordinados aos bancos do país para impulsionar o capital das instituições, procurando evitar a queda dos financiamentos concedidos para as empresas e consumidores.

O índice MSCI Ásia-Pacífico, que reúne as principais bolsas da região com exceção do Japão, subia 0,61% às 07h52 (horário de Brasília). No acumulado do mês, o indicador registra valorização superior a 7%. Entre os principais mercados, o Nikkei 225 de Tóquio teve alta de 0,28%, para 7.972,17 pontos, atingindo seu maior nível em cinco semanas.

Após Barclays, Citigroup, JPMorgan Chase e Bank of America divulgarem nos últimos dias que se tornaram novamente rentáveis no começo de 2009, as ações de bancos no Japão continuam a registrar fortes ganhos. Nesta quarta-feira, os papéis do Mizuho Financial e Sumitomo Mitsui Financial, por exemplo, cresceram 3,00% e 3,38%, respectivamente.

Apesar da ligeira desvalorização do dólar frente ao iene, a moeda norte-americana ainda permanece em um patamar que tornam atrativos os produtos japoneses vendidos no exterior. Por conta disso, os títulos da Mazda, Yamaha e Nissan subiram hoje mais de 2,5%. A divisa dos Estados Unidos terminou o dia cotada a 98,58 ienes, contra 98,69 ienes da última sessão.

Ainda no cenário corporativo japonês, as ações do Yahoo! Japan recuaram 2,01% após a companhia ter anunciado ontem a recompra de 1,185 milhão de suas próprias ações, o que representa uma quantia total de 30 bilhões de ienes (US$ 305 milhões).

Nos demais mercados, o Kospi de Seul avançou 0,52%, para 1.169,95 pontos. Em Hong Kong, o referencial Hang Seng subiu 1,86%, para 13.117,17 pontos. Na China, o Xangai Composto apresentou ganho de 0,24%, para 2.223,72 pontos. Nova Zelândia, Tailândia, Indonésia, Cingapura, Malásia e Filipinas também fecharam no azul.

Na Austrália, o índice All Ordinaries perdeu 0,21%, para 3.386,20 pontos. O indicador de atividade econômica Westpac Bank-Melbourne Institute, que caiu para 252,1 pontos em janeiro, alcançando seu pior patamar em quase 20 anos, mostrou que o país está à beira da recessão.

Após o fechamento dos pregões, a gigante japonesa de produtos eletrônicos Sony anunciou que reduziu sua previsão de pagamento de dividendos neste trimestre para 12,50 ienes por ação, ante 20 ienes por cada papel estimados anteriormente. Os títulos da empresa terminaram o dia com ligeira alta de 0,40%.

Ainda hoje, as atenções dos investidores asiáticos estarão centradas no resultado da reunião do Federal Reserve (Fed, banco central norte-americano). O mercado aguarda por medidas adicionais para que os bancos retomem a concessão de crédito.

(Marcel Salim - InvestNews)