Paraguai: Restrições comerciais argentinas 'incomodam'

Agência ANSA

ASSUNÇÃO - O ministro das Relações Exteriores do Paraguai, Alejandro Hamed, afirmou nesta segunda-feira que as medidas de controle de importações adotadas pela Argentina causam "mal-estar" em seu país, pois prejudicam o setor industrial.

"As travas argentinas incomodam o Paraguai", disse o chanceler, que concedeu hoje uma entrevista coletiva.

Recentemente, o governo de Buenos Aires anunciou a ampliação da exigência de licenças para mais categorias de produtos importados pelo país.

A medida foi considerada "protecionista" por empresários dos demais membros do Mercosul: Paraguai, Uruguai e Brasil. No Paraguai, um dos setores que mais pode ser afetado é o de inseticidas.

Na entrevista, Hamed também foi questionado sobre as duas viagens que deve fazer a países árabes, consideradas "custosas" pela imprensa do país, enquanto Brasil e Argentina, os dois maiores sócios do Mercosul, trabalham juntos contra a crise econômica e deixam de lado Paraguai e Uruguai.

O chanceler rejeitou esta interpretação e ressaltou que seu país também atua regionalmente no combate à crise. Como exemplo, citou a visita que o presidente Fernando Lugo fará ao Brasil no dia 8 do próximo mês, e cujo tema principal será justamente a economia.

Hamed viajou hoje ao Uruguai e em seguida irá à Bolívia. Seu giro também tem como objetivo discutir a turbulência global.

- Os países pequenos também têm que se colocar de acordo sobre como enfrentar a crise - enfatizou.