Meirelles fala à americanos sobre balanço de pagamentos do Brasil

Agência Brasil

BRASÍLIA - Desde o início da crise econômica internacional, o Banco Central vendeu cerca de U$ 14, 5 bilhões de reservas no mercado à vista. Mesmo assim, continua com as reservas internacionais em U$ 199,9 bilhões de dólares, na posição do último dia 12/03. A informação foi passada pelo presidente do Banco Central, Henrique Meireilles, durante palestra a cerca de 200 empresários reunidos no hotel The Plaza, em Nova York.

Henrique Meirelles disse que nas demais operações com compromissos de recompra foram injetados U$ 26 bilhões das reservas de setembro para cá. Para aumentar a liquidez em moeda estrangeira foram emprestados recursos aos bancos, para repasse às empresas. O país também tomou medidas para financiar empresas que tinham dívidas no exterior e sofriam com falta de crédito, que, segundo ele, recupera-se gradualmente.

Meirelles informou aos empresários que média mensal de financiamento de exportações tem volume similar ao ano anterior (excluída a sazonalidade).

Ele disse que o Brasil entrou melhor que outros países no ápice da crise por causa da boa quantidade de reservas e fortalecimento prévio do mercado interno (41 milhões de pessoas entrando no mercado de consumo).

O presidente do BC abriu o seminário sobre oportunidades de negócios no Brasil que encerra a visita do presidente Luiz Inácio Lula da Silva aos Estados Unidos. Lula vai falar aos empresários na hora do almoço,por volta de 13h em Brasília. O próximo a falar é o ministro da Fazenda, Guido Mantega.