Novas políticas são necessárias para evitar crise

SÃO PAULO, 10 de março de 2009 - O presidente do Federal Reserve (Fed, o banco central norte-americano), Ben Bernanke, afirmou hoje que as atuais medidas para o combate à turbulência financeira mundial devem ser acompanhadas de novas políticas para limitar a incidência e o impacto do risco sistemático em relação a crises futuras. ´No curto prazo, os governos devem continuar coordenando ações para a restauração do mercado financeiro e o fluxo de crédito. Até que estabilizemos o sistema financeiro, uma recuperação econômica permanecerá fora de alcance´, declarou Bernanke.

Bernanke reiterou mais uma vez que o Fed, o Departamento do Tesouro e outros órgãos federais irão tomar as medidas necessárias e adequadas para assegurar liquidez e capital ao bom funcionamento das instituições bancárias norte-americanas.

´Ao mesmo tempo em que falamos desses desafios imediatos, não é tão cedo para começarmos a pensar em uma reforma referente à arquitetura financeira, amplamente concebida, que poderia ajudar a evitar uma crise semelhante no futuro. Temos de ter uma estratégia que regulamente o sistema financeiro como um todo, de uma forma holística, e não apenas os seus componentes individuais. Embora necessárias para reduzir o risco sistemático, a regulação e supervisão dos bancos são insuficientes, por si só, para atingir esse objetivo´, esclareceu o presidente do Fed.

Para Bernanke, existem quatro elementos que devem ser trabalhados. Primeiramente, deve ser abordado o problema das instituições financeiras, algumas até com perspectivas de falências. Em segundo lugar, deve-se reforçar a ´infraestrutura financeira´ , que abrange as regras e convenções que regem o comércio, pagamentos, compensação e liquidação nos mercados financeiros. Outro aspecto que deverá ser revisto será a questão das políticas regulatórias e das normas contabilísticas. Finalmente, o último aspecto discute a criação de uma autoridade encarregada especificamente de dirigir e controlar os riscos econômicos.

(Aline Khouri - InvestNews)