EUA tem a maior valorização do ano

SÃO PAULO, 10 de março de 2009 - As principais praças acionárias norte-americanas encerraram a terça-feira no azul, e registraram a maior alta do ano, impulsionadas pelo setor bancário. A boa perspectivas para os lucros do Citigroup reforçou a ideia dos investidores de que o pior da crise bancária pode já ter passado.

Na Bolsa de Valores de Nova York (NYSE, na sigla em inglês), o índice Dow Jones Industrial Average registrou valorização de 5,80%, aos 6.926,49 pontos. O S&P 500 subiu 6,73%, para 719,60 pontos. Os dois índices tiveram o maior ganho diário desde novembro. E na bolsa eletrônica, o índice composto Nasdaq avançou 7,07%, para 1.358,28 pontos.

O Citigroup disparou 38,10%, para US$ 1,45, depois que o seu CEO, Vikram Pandit, anunciou, por meio de um comunicado, que o banco, que recebeu US$ 45 bilhões de ajuda do governo dos Estados Unidos, deve registrar o melhor trimestre desde 2007. No dia 5 de março, as ações do banco chegaram a ser negociadas a US$ 0,97.

O JPMorgan subiu 22,64%, para US$ 19,50, e o Wells Fargo avançou 18,46%, para US$ 11,81, animados pelas declarações do presidente do Federal Reserve (Fed, o banco central norte-americano), Ben Bernanke, que afirmou que as atuais medidas para o combate à turbulência financeira mundial devem ser acompanhadas de novas políticas para limitar a incidência e o impacto do risco sistemático em relação a crises futuras. Bernanke também disse que, caso a situação do setor financeiro se estabilize, a recessão deve terminar no final deste ano.

O Bank of America ganhou 27,73%, para US$ 4,79, e a General Electric avançou 19,70%, para US$ 8,87.

(Sérgio Toledo - InvestNews)