Empresas latinas perdem o equivalente a uma Petrobras em 2009

Portal Terra

TERRA - Segundo levantamento da consultoria Economatica divulgado nesta terça-feira, 694 empresas de capital aberto de Argentina, México, Colômbia, Brasil, Peru, Chile e Venezuela perderam US$ 105,3 bilhões desde o início do ano até o fechamento dos mercados na segunda-feira. O montante é próximo ao valor de mercado da Petrobras na véspera (US$ 107,3 bilhões).

O mercado Argentino, representado por 66 empresas, foi o que teve a maior queda percentual (35,5%), passando de um total de US$ 46,7 bilhões no final de 2008 contra US$ 30,1 bilhões na segunda-feira.

Já o Brasil teve a menor queda entre os que enfrentaram perdas no ano. O valor de mercado de 309 empresas nacionais listadas na bolsa caiu de US$ 558 bilhões para US$ 544 bilhões - um recuo de 2,4% no período.

As 88 empresas mexicanas pesquisadas pela consultoria apresentaram a maior depreciação em valor nominal, de US$ 69,9 bilhões, ou 29,1%. Os mercados de Chile (115 empresas) e Venezuela (17 empresas) foram os únicos a registrar alta do valor de mercado em 2009.

Entre as 694 empresas consultadas, a Petrobras registrou a maior valorização nominal, passando de US$ 95,8 bilhões no final de 2008 para US$ 107,3 bilhões, o que representou acréscimo de 12%. Vale teve alta de 5,6%, de US$ 58,4 bilhões para US$ 61,7 bilhões. Aracruz registrou avanço de 114% para US$ 3 bilhões.

Na contramão, a mexicana América Movil, controladora da Claro, apresentou variação negativa de 21%, de US$ 53,4 bilhões para US$ 42 bilhões neste ano. Já a petrolífera argentina YPF viu seu valor de mercado cair 61,4% de US$ 18 bilhões para US$ 7 bilhões. Itaubanco e Bradesco também entraram na lista das dez maiores quedas nominais, com perdas de US$ 6,3 bilhões e US$ 3,6 bilhões, respectivamente.