Consumidor mantém otimismo, mas índice de confiança cai

Portal Terra

SÃO PAULO - Apesar dos consumidores continuarem otimistas em relação ao futuro da economia, o Índice de Confiança do Consumidor (ICC) de março, medido pela Fecomercio, teve queda de 3,5% em relação ao mês anterior, registrando 128,2 pontos, uma retração de aproximadamente cinco pontos ante o mês de fevereiro. O indicador continua apontando otimismo, considerando uma escala que varia de zero até 200, em que o pessimismo fica abaixo de 100 pontos.

Segundo o estudo da Fecomercio divulgado nesta terça-feira, os dados apurados nos últimos meses devem sinalizar uma tendência de redução da confiança. Em fevereiro, o ICC alcançou sua primeira alta após quatro meses de queda consecutiva, atingindo 132,9 pontos.

Para Thiago Freitas, economista da Fecomercio, os anúncios de demissões pontuais em grandes empresas, notícias de quedas na produção e nas vendas em segmentos importantes contribuem para a elevação no nível de apreensão do consumidor.

O Índice das Condições Econômicas Atuais (ICEA), que determina a percepção dos consumidores em relação à situação presente, caiu 10,1% no mês e perdeu, desde março do ano passado, cerca de 38 pontos, uma queda de quase 25%, situando-se agora em 115,8 pontos, o menor patamar desde outubro de 2005.

Já o Índice das Expectativas do Consumidor (IEC) mostrou variação mensal positiva de 0,6%, registrando 136,4 pontos em março.

No que diz respeito à segmentação por renda, os consumidores que recebem mais de dez salários mínimos foram os principais responsáveis pela queda do ICEA, com baixa de 19,2%, chegando a 112 pontos.