Brasil proporá a G20 maior contribuição de EUA e outros a FMI

REUTERS

REUTERS - O Brasil pretende levar à reunião do G20 proposta para que o Fundo Monetário Internacional (FMI) assuma o papel de redistribuir os fluxos de capitais no mundo em meio à crise, repassando recursos de países como Estados Unidos e Japão a economias emergentes, afirmou o ministro da Fazenda, Guido Mantega.

- A proposta é que os países assumam a regulação do fluxo financeiro internacional de modo a rebalancear o jogo. Ou seja, os países que têm excesso podem colocar os recursos no Fundo Monetário Internacional, e o Fundo Monetário recolocar esses recursos nos países emergentes e em todos aqueles que estão com falta de recursos - disse Mantega nesta terça-feira.

O ministro argumentou que países como os EUA, Japão e China hoje sofrem com o excesso de fluxo financeiro, que valoriza excessivamente suas moedas, prejudicando as exportações. Outras economias, enquanto isso, padecem da falta de crédito.

A idéia, segundo Mantega, é que os recursos redirecionados sejam aplicados principalmente no financiamento do comércio internacional.

O Brasil pretende discutir sua proposta com os representantes de China, Rússia e Índia na próxima sexta-feira quando os ministros da Fazenda do G20 estarão reunidos em Londres. Juntos, esses quatro países formam o bloco conhecido como Bric.

- Vou procurar consensuar essa proposta para que a levemos à reunião dos ministros - disse Mantega.